22 ago

O que é o Robô-Consultor?

Se deparar hoje com o termo “robô-consultor” ou “robô-advisor” é tão comum quanto ouvir falar em investir fora dos grandes bancos. Em testes há pouco mais de um ano, parece que agora a procura por algoritmos que ditam as melhores escolhas na hora de investir está se popularizando.

Um estudo recente da consultoria Accenture mostrou que 7 em cada 10 consumidores estão dispostos a utilizar serviços baseados em robô advisor , indicando ainda que os principais atrativos para o uso dessas plataformas seriam a perspectiva de serviços mais rápidos (46% dos brasileiros), mais baratos (30%) e a percepção de considerar a inteligência dos computadores mais imparcial e analítica do que a dos humanos (25%).

O robô faz o mesmo papel de um consultor de investimentos, só que tudo é feito online e automatizado, tendo por trás um algoritmo para analisar o perfil do investidor, seus objetivos e comparar diversas aplicações para recomendar a melhor carteira de investimentos possível.

Com a tendência cada vez mais crescente de brasileiros migrando para corretoras ao invés de continuarem presos à política dos grandes bancos, o robô-consultor deverá democratizar ainda mais esse serviço ao abrir portas para que investidores de todos os perfis tenha acesso a uma consultoria de investimentos, desde clientes com profundo conhecimento do mercado, com exigência de softwares robustos e de maiores custos, até o pequeno poupador, que responde um simples questionário e já começa a investir.

Isso está tão avançado que os robôs já começam a ser divididos por alguns tipos:

Robô Advisor

É o mais comum até o momento. Faz a consultoria e gestão de carteiras de investimentos de forma automatizada. Como falado anteriormente, os algoritmos utilizados analisam o perfil do investidor e os investimentos disponíveis do mercado no intuito de concluir quais as melhores opções. A carteira criada por incluir aplicações em renda fixa (CDBs, Letras Financeiras ou títulos do Tesouro Direto) e renda variável (ações, câmbio e ouro).

Robô Trader

É mais utilizado para operações de curto prazo, programadas previamente pelo investidor. Na maior parte dos casos, em operações day-trade, programando funções que variam desde o investidor programar uma venda de emergência caso o valor de uma ação fique abaixo de certo nível ou, ainda, estipular vendas de ações que alcançaram valorização. Para o investidor que não consegue passar o tempo todo acompanhando a movimentação do mercado, esse tipo de serviço vem sendo um dos mais indicados.

Estratégia humana

Até o momento o assunto foi dominado por algoritmos, softwares complexos e tudo sendo feito de forma digital. Mas a parte humana não foi substituída. Isso porque os algoritmos não eliminam o trabalho de uma equipe de consultores financeiros que precisam estabelecer uma estratégia que será executada pelo robô.

Segundo uma pesquisa da AT Kearney, os fundos gerenciados por robôs assessores crescerão de 0,5%, quando os testes começaram a ser colocados em prática em 2015, para até 5,6%, em 2020.

Principais benefícios

As pessoas cada vez mais se preocupam hoje com o tempo. Lógico, com tanta informação sendo disparada o tempo inteiro, otimizar as horas do dia é essencial para conseguir se sentir satisfeito ao final dele. E essa questão do tempo está diretamente ligada aos principais benefícios que os robôs-consultores prometem trazer e influenciar o mercado em uma direção oposta.

Pra começar, a carteira é construída em poucos minutos, respondendo algumas perguntas e distribuindo alguns cliques. Isso sem falar que não demanda praticamente nenhum esforço. Não é como ter a necessidade de marcar uma reunião com o consultor financeiro (ou o gerente), ou ir até a corretora (ou um banco). Não, todo o processo é bastante simples e automatizado.

Com isso aumenta-se a praticidade e eficiência. Foi justamente o que pensamos quando desenvolvemos o aplicativo Kead, focado na Educação Financeira em que o conteúdo é acessado de qualquer lugar e a qualquer hora. Tudo depende de uma configuração mínima para que a máquina comece a trabalhar. Isso reduz também os custos envolvidos se comparada a uma gestão profissional, com monitoramento diário.

Principais limitações

Um artigo recente na Empiricus vai na contramão do que os entusiastas do mercado financeiro pensam sobre o aumento dessa modalidade de negócio. Isso porque enquanto todos falam em baixo custo, a Empiricus desmente e diz que as plataformas em versões mais completas até 2 mil reais, enquanto outras cobram mensalmente o valor de uma assinatura.

A dica é: pesquisar o que tem disponível no mercado e se informar.

Vinicius Silva
Tags:, ,
sem comentários
leia mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *